Pesquise Aqui

sábado, 28 de setembro de 2013

"Mudei" um Provérbio!



S
ão tantas as mudanças a cada dia que o homem sequer pode parar para pensar nelas e as compreender, para depois vivê-las... É obrigado, portanto, a se deixar levar por elas, aceitá-las para assim sobreviver, custe o custar! Eu acho que, aquela velha frase: é errando que se aprende” não serve mais para os dias de hoje; não dá mais tempo para errar certas coisas seguindo um processo para chegar ao aprendizado, pois isso pode significar ser deixado para trás! A frase (e a ação que ela pressupõe) fica correta nesta era, se for colocada exatamente na ordem inversa: e aprendendo, se erra... Só assim se pode acompanhar o desenrolar da vida e da história, da sociedade, enfim, suportar a competitividade e continuar vivendo!
JaloNunes.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Comunicação banal



N
ão que eu esteja pondo em xeque a linguagem (a comunicação) conquista especial e exclusiva do ser humano, mas as características sem crédito e que não engrandecem, não dão continuidade para cada vez mais aperfeiçoar a linguagem, "verbos" apenas jogados ao vento, por um ou outro hipócrita! Uns homens e mulheres fizeram a linguagem tornar-se um dos maiores e melhores meios para enganar, principalmente os menos esclarecidos... É justamente neste contexto que ela perde credibilidade e até torna-se banalidade!
JaloNunes.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Simplesmente AMOR



S
im! Eis que muitos afirmam que o amor dar asas... Discordo parcialmente, pois "a chegada do amor" não implica voar por horizontes sem fronteiras, repletos de felicidades! Mas implica, antes: medo, dúvida, rompimentos, expectativas, incerteza  etc.
Medo de não ser compreendido (a), correspondido (a), medo de estar se enganando, ou seja, vivendo outro sentimento e não o amor. Dúvida, exatamente quanto a validade ou não do sentimento e a efetivação do mesmo. Rompimentos, no campo dos relacionamentos humanitários, quer dizer, o (a) envolvido (a) se sentirá como se fora da realidade e acabará forjando certas situações que se parecerão com desprezo, abandono e ainda, o indivíduo se excluirá em certos casos, da realidade "socialmente entendida"! Expectativas: diversas, positivas e negativas. Incertezas: ocorrerão quase igualmente as reações da expectativa: - será mesmo amor, será que também serei amado (a)?
É bem verdade que o amor não é ruim! Tem vantagens indiscutíveis, gostosas, imprescindíveis, mágicas, enfim, únicas... Porém, deixo que você que lê, escreva para si mesmo e principalmente para os outros, as coisas boas que o amor já lhe ofertou e continua lhe oferecendo! Sim, porque ele é pessoal, muda de pessoa para pessoa e na maioria das vezes precisa de mais de uma para nascer e ser efetivado... Cada um ama e recebe o amor da forma que lhe é adequada, comum, individual!
Opa! Parece que aconteceu um enorme equívoco da minha parte, porque antes eu falei que o amor não era pessoal, pois se fosse seria puro e, aqui eu afirmei que o amor é pessoal, já que muda de pessoa para pessoa... Calma, explico! No primeiro momento "pessoal" eu quis mostrar que para ser efetivado o amor precisa de outro indivíduo... Já no segundo momento "pessoal" eu mostrei que o amor, apesar de ser o resultado da união de sentimentos, nasce muitas vezes, de apenas um indivíduo que foi estimulado por outro, o que não quer dizer que será efetivado! Entendeu-se?

JaloNunes.