Pesquise Aqui

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Eleições 2014: Norte e Sul do Brasil



A
 política, ou pelo menos a forma de fazer política, tem mudado nos derradeiros anos em nosso país; esta última eleição para Presidente da República mostrou algumas (outras) faces: da política, dos políticos e dos eleitores brasileiros (nem sempre desveladas anteriormente).
Algumas lições ficaram; uma delas é que nenhum presidente poderá se eleger sem que olhe com  mais atenção e dispêndio para a região Norte e especialmente para a região Nordeste do Brasil... Isto implica, concomitantemente, não praticar um olhar cínico, egoísta, dissimulado (entre outros “predicados”) que leva a manutenção de um comportamento que induz a um giro perene e (aparentemente normal) em torno do próprio umbigo, situado na face sul do país.
JaloNunes.

domingo, 26 de outubro de 2014

Eleições 2014: a vitória de Dilma Rousseff, do PT



O
 tema desta postagem é sobre Dilma Rousseff e a sua comemorada reeleição, mas antes gostaria de dirigir algumas palavras a seu oponente...
O candidato Aécio Neves, do PSDB, se mostrou um dos mais fortes oponentes a Presidenta (nestes últimos dueles de PT contra PSDB), candidata à reeleição; mas a sua força se resumia a uma postura agressiva, irônica, debochada, no sentido da letalidade com que impunha em suas palavras e questionamentos (eram, portanto, apenas insinuações e palavras ao vento), especialmente no que se refere a sua participação nos últimos debates políticos; o mesmo foi também favorecido por “mecanismos politiqueiros” (prejudiciais a Dilma) como o caso da Petrobras, por exemplo, que teve o momento da “delação premiada”, muito oportuno, por sinal. Enfim, se tivesse que resumir a postura do candidato, diria que ele, especialmente a partir da entrada no segundo turno, comportou-se como mulher vaidosa que entra em festas com certo glamour, de salto alto (achando que vai abafar e atrair todas as atenções), mas na primeira irregularidade do solo, vai ao chão; diria ainda que suas propostas de resumiram a acrescentar algo que já vinha sendo feito pelo atual governo, quando não, batia na tecla da mudança, mas, cá para nós: mudança nunca significou a existência de melhoria, mudança também pode ser para o pior (parece que a maioria dos brasileiros entendeu assim).
Dilma manteve-se firme naquilo o governo já vem desenvolvendo e, como ela mesma disse, suas propostas eram as suas credenciais (um passado de avanços que se refletia em um futuro ainda melhor para os brasileiros. Então, que rufem os tambores e soltem todos os rojões, Dilma Presidenta do Brasil pela segunda vez! Em nossa pequena cidade não foi diferente: algumas pequenas, mas barulhentas carreatas trafegaram: eufóricas e felizes pelas ruas sofridas, dessa nossa pequena “Princesa do Sertão”, incrustada na imensidão do Brasil!

JaloNunes.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Eleições 2014: Dilma V Aécio

Usando-se de uma ferramenta do G+ (por sinal uma novidade) fizemos uma primeira pergunta, em nosso perfil...
Explicando: "Neoliberalismo requentado" é Dilma Rousseff e "Neoliberalismo escancarado" é Aécio Neves.
Acesse este link e vote, você também! 
JaloNunes.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Eleições 2014: Collor V Tiririca (o desfecho)



E
u nem sei por que estou escrevendo esta postagem, afinal quase nada mudou! Anteriormente eu quis induzir que poderíamos ter uma provável mudança nos cenários de votação/eleitos, em se tratando do Senador Fernando Collor e do Deputado Federal Tiririca, mas o que sei viu foi que: “quase nada mudou”!
Collor foi simplesmente o senador mais votado de Alagoas (mais uma vez), com 689.266 votos, desbancando a encrenqueira Heloísa Helena, que obteve 394.309 votos. Ao que parece Alagoas “confirmou aquele velho jargão que nos foi sapecado pelos povos desenvolvidos do Sudeste” (comentado na postagem anterior) na última eleição para senador; enfim, também se confirmou uma brincadeira que rolava nas redes sociais e que dizia: “é melhor votar no colo do que em pé”!
Ao passo que em São Paulo a mudança também foi irrelevante, os eleitores “protestaram” mais uma vez e “confiaram” nada mais, nada menos que 1.016,796 votos a Tiririca, sendo o 2º mais votado de São Paulo para Deputado Federal, perdendo apenas para o Celso Russomanno, que teve a mais, cerca de 500 mil votos.
É isto, car@ leitor(a)! Nadamos, nadamos e morremos na praia... Em um dia nebuloso e chuvoso!
JaloNunes.