Pesquise Aqui

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

O atual momento do Brasil



O
 Brasil está vivendo uma crise que se alastra por diversos setores: principalmente economia, mas também educação, saúde, transportes, política, hídrica, dentre outras. A sociedade sente o peso da desaceleração da economia e da bagunça que se instaurou no país, sobretudo quando vai ao supermercado e se depara com o aumento constante das mercadorias, quando freta um transporte e percebe que aumentou o custo, pois o motorista (seja o taxista, o mototaxista, o condutor de vans, ônibus, o empresário de transportes etc.) repassa o aumento do gasto com combustíveis para o(a) passageiro(a).
A Presidenta Dilma Rousseff insiste em dizer que o país anda sobre caminhos planos, situados em campos repletos de flores, mas, por outro, uma comissão nefasta de políticos caçadores de recompensas, liderada por um ou outro líder partidário e social, busca colocar o pescoço da Presidenta na guilhotina, sem dó e sem perdão, para isso, mobilizam artistas, que fazem um excelente papel de injustiçados, sem o serem; usam também as redes sociais; as mídias (que parece que não decidiram "quem derrubar") e uma série de outras instâncias públicas e privadas...
- Somente se retratar não é suficiente, a solução seria o impeachment! Dizem os mais afoitos.
Um fato é certo, alguns partidos políticos, algumas instituições, alguns segmentos da sociedade (que hibernam a vida toda e só ressuscitam do sono eterno quando lhes é conveniente, tais como uma burguesia bastante endinheirada, influente e cosmopolita, por exemplo), alguns grupos privados, entre outras aparelhagens sociais, aguardam apenas o momento em que o cerco de fechará e a Presidenta será “convidada a se retirar”; a sua imagem será confundida com a de uma pessoa que ofendeu aos poderosos e afundou o Brasil (país este que nunca esteve sobre a superfície)!
No entanto, se a Presidenta apertar ainda mais o povo brasileiro (falo de povo, não de elite) com o aumento de impostos e de produtos e fizer generosas concessões aos “insatisfeitos e arquitetos” do “nada está bom” tudo se endireitar como se num passe de mágica. E os arredios e desgostosos se tornarão, de novo, parte de um rebanho que diz “béééééé´” (digo, amém) para um tudo que o Governo disser!
Mas, se a Presidenta cochilar, seus algozes disfarçados de amistosos lhe passarão uma rasteira!
JaloNunes.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O Cinema e a Incoerência

P
or ser o Cinema a Sétima Arte, pensam - os benfeitores dela - que se pode fazer de tudo; se dizer  tudo e que o telespectador é um mero receptor acrítico e anormal!
Veja bem como se pratica uma incoerência medíocre e desmedida... Observando, assistindo a um filme, cuja narrativa partia de outra dimensão: seres não humanos que habitavam as profundezas sublimes e supras do Cosmos, os mesmos, ainda, pertenciam a uma galáxia que era conectada a tantas outras, como se numa representação de uma árvore. Mas, eis a incoerência: lá eles moravam em abrigos semelhantes aos humanos e se alimentavam de coisas existentes (somente) na terra, tais como: javalis e cervejas...
JaloNunes.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

"Truque Vip", do Domingão do Faustão

N
o último domingo foi a etapa final do quadro “Truque Vip” transmitido pelo programa “Domingão do Faustão”, da Rede Globo. Os competidores Fernanda Vasconcellos, Hortência Marcari, Murilo Rosa e Thiaguinho realizaram mágicas extraordinárias, transitando entre as modalidades “escapismo”, "ilusionismo",  “mentalismo” e “na cara do freguês”.
Após a apresentação anterior, domingo (dia 25/01), apenas dois competidores foram para a Grande Final: Fernanda Vasconcelos e Murilo Rosa. Então neste domingo, (dia 01/02) eles competiram em busca do primeiro título do “Truque Vip”. Ambos realizaram duas modalidades de mágica e empolgaram a plateia, os telespectadores e certamente o júri composto por Sheron Menezzes, Tande e Marcos Frota. Para se tornar o vencedor e ganhar um carro, os competidores conquistariam os votos dos três jurados (que acompanharam desde as primeiras competições), além do voto do público no palco do Programa e dos telespectadores.
Após as apresentações de ambos os finalistas, o apresentador Fausto Silva solicitou inicialmente o voto de Sheron Menezzes. Entre outras palavras, Sheron justificou que seu “voto sempre foi de Murilo Rosa”. Significa para nós, que ela jamais esteve aberta a considerar efetivamente as apresentações dos outros competidores e suas respectivas mágicas, sendo a maioria delas foi espetacular. A última mágica de Fernanda Vasconcellos, por exemplo, foi maravilhosa (aliás, as duas mágicas de Fernanda Vasconcellos foram superiores as de Murilo Rosa, no que diz respeito aos elementos utilizados, bem como o arrebatamento final e também na maneira como ela as conduziu e empolgou a plateia, tanto é que o público e os telespectadores perceberam isso e foi desses dois segmentos que Fernanda Vasconcellos obteve seus votos). Num momento anterior Sheron dizia que era impressionante que o público estava adorando e se impressionando com as mágicas, vendo apenas pela TV, imagina se os telespectadores estivessem na posição em que eles, jurados, estavam... Porém, ela não conseguiu alcançar a sensação e o envolvimento que o público e os telespectadores sentiram, com as mágicas de Fernanda Vasconcellos no momento Final. Parece-nos também que ela fazia teatro, digo Televisão, quando tentava passar uma sensação de pasmo ao término das várias mágicas que os quatro competidores realizaram, uma vez que seu voto e seu entusiasmo já eram de Murilo Rosa! Nem ela, nem os demais jurados conseguiram sentir uma emoção diferenciada, proporcionada pelas mágicas de Fernanda Vasconcellos, assim como não valorizaram a sua evolução no jogo.
Tande enfatizou a questão da disciplina e também votou em Murilo Rosa. Ora, se tratava de uma avaliação de mágica, feita por “Mágicos Vips”, não tínhamos ali uma competição realizada por atletas de alto nível. Seria a disciplina o principal fator a ser avaliado naquele momento Final do quadro?
Marcos Frota chamou a atenção para a importância de Fernanda Vasconcellos estar na Final e ter realizado mágicas incríveis. Segundo o jurado, “ela inaugurava a entrada da mulher brasileira no mundo da mágica”. Mas, na hora de votar ele não conseguiu se desvencilhar da tradição e votou no homem. Perguntamo-nos: certamente Fernanda Vasconcellos teria sido a campeã, caso fosse homem e principalmente se o júri tivesse sido competente, não habilidoso?
Com estes breves argumentos não estamos desmerecendo a participação de Murilo Rosa, afinal ela foi brilhante, mas nos dirigimos ao momento Final, no qual Fernanda Vasconcellos nos pareceu merecedora. Dirigimo-nos também ao júri que foi incoerente com a escolha, levando em conta o histórico de ambos os finalistas e não a Final, que era o fator de avaliação. É claro que se lavarmos em conta o histórico, Murilo Rosa foi superior, pois ele já parecia estar pronto desde a primeira apresentação, ao passo que Fernanda Vasconcellos evoluiu bastante, no decorrer dos Programas. Mas, gostaríamos de repetir que do nosso ponto de vista, o que estava em avaliação (pelo júri, público e telespectadores) era a apresentação Final de cada artista, não os seus respectivos históricos, por isso reafirmamos que o resultado foi incoerente e injusto! Ao passo que o público e os telespectadores foram coerentes e verdadeiros!
JaloNunes.