Pesquise Aqui

domingo, 28 de junho de 2015

Paraguai elimina Brasil da Copa América (Chile 2015)



E
u agradeço aos tropeços da “seleção brasileira”, assim eu tenho motivos para escrever aqui no Blog, mania esta que me contagia deste a Copa do Mundo FIFA no Brasil, em 2014.
Ontem a “seleção brasileira” foi eliminada da Copa América (Chile 2015) pelo Paraguai! Aliás, uma pergunta pode ser formulada: será que podemos chamar o grupo brasileiro de seleção? Se tomarmos pelo significado no dicionário, seleção é uma “escolha racional, criteriosa” (XIMENES, 2001, p. 785) e o que temos visto nos jogos da “seleção” são jogadores errando passes infantis; criando situações desagradáveis para a “seleção”, por causa de atos tolos; querendo ganhar no grito, por se acharem superiores aos adversários, logo os subestimando; outros tentando ludibriar árbitros a partir de um nome construíd0 e não por atos construídos ali, no jogo, então não se vê um grupo criteriosamente escolhido. Enfim, um bando de moleques (com raras exceções) que jogam nos mais remotos países (ou nos mais visíveis países), alguns sequer tem uma história com o futebol brasileiro (foram praticamente teletransportados) que aproveitam essas competições para tirarem férias da situação limítrofe em que vivem (pois lá encontram regras) e aqui em nosso país notam uma situação favorável: lugar sempre acolhedor, frenético, quente e tantas vezes ingênuo para acreditar em discursos ensaiados de que a situação é ótima, sendo ela desastrosa! Acredito que temos jogadores mais aguerridos (jogando no Brasil) que honrariam melhor a camisa da “seleção”, ajudando-a a adquirir o status de seleção! Falando-se em (re)conquistar um status de seleção, daquela que inspirava respeito em campo, em virtude de seus feitos, os dirigentes da seleção precisam trabalhar com cada um dos jogadores de forma real, lembrando que se trata de uma equipe frágil, inconstante, formada com muitas estrelas e poucos trabalhadores... Dizer para eles que ultimamente o Brasil jamais poderá entrar em campo na condição de favorito (pois se pensar assim já estará construindo a própria derrota) e perderá para qualquer outra seleção que estiver na condição “franco atirador”. O Brasil precisa esquecer que é vencedor de várias competições, seja Copa América, Eliminatórias para a Copa do Mundo e a própria Copa do Mundo, carece esquecer o passado glorioso, engolir o presente inglório e pensar num futuro de conquistas que ainda é surreal, mas que pode se tornar realidade!
Não adianta trazer supostas estrelas e conjecturados astros, pessoas que tiveram uma formação profissional nos confins do mundo e agora aparecem em busca de espaço nos corações dos brasileiros que torcem quase incondicionalmente; nem adianta dar sucessivas chances aos desmerecedores somente porque eles foram brilhantes em determinado tempo atrás; pouco menos adianta entrar em campo na condição de favorito, o futebol mostra a cada jogo que não existe favoritismo; por fim, é preciso traçar e cumprir um perfil quando se joga: jogará no ataque, pressionando o adversário ou jogará na defesa, explorando os contra-ataques? Baseando-se nessas qualidades, se convocará “estes” jogadores e não “aqueles”!
E reafirmo como dito anteriormente - de forma indireta - priorizem o pangaré que atua em times brasileiros e esqueçam o mangalarga marchador, quase gringo...
JaloNunes.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

E pra'gora Neymar?



E
 agora Neymar? Antes que se responda, vale lembrar que se trata de uma ótima punição... imagine, você não terá que explicar-se por que jogou mal na Copa América (Chile 2015), afinal você não a jogará mais nesta edição... e o que melhor, a culpa não é sua, é dos árbitros!
Respondendo: - Agora o Neymar Jr. volta para Espanha, para curtir o “Barça” e, de quebra, ainda dar uns roles pelas belas cavernas da cidade mais quente da Espanha!

Ó “Bar cê lona”!
Em nós pulsas
Como o próprio coração
Pois fazes em nós nascer
Novo fluído de emoção.

Além de teus monumentos
Dos teus gênios
De tua gente
O fervilhar de pessoas
Envolve-nos de tal maneira
Que nos sentimos felizes;
Inclusos, perspicazes e viris.

Tuas boates exploram
O que queremos mais ter:
Ver, fazer e estrear
Porque são lugares:
Inóspitos, somente os livres adentram
E se embriagam de graça
E fumam sem que traguem
E amanhecem no dia
Como se fossem entes noturnos
E a rotina destrói-se
Como brasa em água fria
E então no outro dia
As poucas horas que restam
Servem para alimentar-se, retocar-se...
Ver o que o dia oferece
E a uma nova noite adentrar.
JaloNunes
Chora não, bebê!

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Os árbitros são inimigos do Neymar Jr.?



P
ronto, Neymar Jr. acaba de se tornar uma sumidade que deve ser intocável! Ele não admite mais que lhes apliquem cartão amarelo, nem mesmo o vermelho, pois, caso isso aconteça, ele jogará muito mal, se perderá nos lances mais infantis, perderá a cabeça e participará de brigas dentro de campo.
Ao terminar o jogo entre Brasil x Colômbia, pela Copa América (Chile 2015), nesta quarta dia 17 de junho, alguns jogadores da seleção brasileira (Daniel Alves e Willian) deram entrevistas aos repórteres da Rede Globo e disseram, entre outras afirmações, ser culpa dos árbitros (todos que apitam jogos em que o Neymar participa) o fato de o jogador se estressar na partida e perder o foco, isto é, se esquecer que tem algum talento (muitíssimo bem pago); disseram ainda, que os árbitros precisam respeitar o Neymar (até há pouco, eu sabia que era a equipe de arbitragem que devia ser respeitada, por ser composta pelos “juízes” da partida, logo a autoridade máxima em campo)... Significa, grosso modo, que quando o Neymar entra em campo 12 sujeitos estarão contra ele: os 11 jogares adversários e o árbitro da partida (nem estamos contando com os bandeirinhas)...
Acho que é a primeira vez que eu vejo alguém falar que a estrela de um jogador está sendo mitigada pelos árbitros... E pensar que a seleção brasileira já teve diversos jogadores de respeito, que se se faziam respeitado, sem precisar que os companheiros lhes fossem porta-vozes de arengas medíocres e infundadas!
JaloNunes.