Pesquise Aqui

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Pacote "pró-corrupção": uma maneira sórdida de finalizar a Operação Lava Jato


A imprensa não pode chegar agora e dizer que o pacote “pró-corrupção” aprovado na noite de ontem na Câmara dos Deputados e tentado no Senado (sem sucesso imediato, tendo sido encaminhado para a Comissão de Constituição e Justiça), é fruto de um oportunismo por parte dos Parlamentares, isto é, que os mesmos aproveitaram-se de uma consternação nacional por conta da tragédia aérea envolvendo a Associação Chapecoense de Futebol (ACF). Uma vez que o povo brasileiro (mesmo de mãos atadas) e a imprensa brasileira sabiam perfeitamente que o referido projeto seria votado naquele momento, mas para a imprensa – ultimamente – tem sido mais cômodo passar a mão sobre a cabeça dos golpistas!
Bem menos podiam os juízes federais afirmarem em coletiva de imprensa que abandonariam a Operação Lava Jato, caso o pacote “pró-corrupção” seja sancionado. O que nos sugere, com muita tristeza, é que tudo não passa de um grande golpe, de uma estratégia conjunta arquitetada entre o governo golpista de Temer, a Câmara dos Deputados, o Senado, própria justiça federal e uma parte privilegiada da imprensa brasileira.
Ora, como é que a justiça vai se eximir de suas responsabilidades, “forçada” pela ação dos Parlamentares, justamente porque eles aprovaram um pacote de medidas que protege os corruptos e anistia os crimes por eles cometidos? Pelo contrário, ela teria que se reinventar e combater com absoluta convicção!
A Operação Lava Jato vai parar (isso é uma questão de tempo) e não será por causa desse pacote “pró-corrupção”, será por conta de um plano hegemônico e elitizado, no qual estão empenhados o governo golpista de Temer, a Câmara dos Deputados, o Senado e a justiça federal, desde antes do momento do Golpe de Estado que afastou Dilma Rousseff.
JaloNunes.
Copiado de: O Tempo
Copiado de: agazetadigital.blogspot.com

Sem comentários:

Enviar um comentário